Inimiga íntima – libertando-se da mentira

Mentira-31

  “Deus não é o homem, para que minta…”

   Números 23 : 19

O homem que declarou estas palavras, obteve uma revelação importante sobre o caráter de Deus, através de uma experiência pessoal com Ele. Balaão percebeu uma diferença assombrosa entre o natureza humana e a Divina: Deus não pode mentir,  a essência de todos os seus atos e propósitos é a verdaMentira-31de.

A mentira está presente na natureza humana desde o começo da sua história. Desde a sua queda, o homem passou a utiliza-la como instrumento de suas relações. Por que mentimos ? mentimos para fugir das situações embaraçosas, para não enfrentarmos consequências de nossos atos e palavras ou  para sustentar nossa imagem diante da sociedade e que na verdade não corresponde a quem realmente somos. Usamos a mentira na tentativa de esconder nossas fragilidades e deficiências, nossa ganância e luxúria.

Os governos e organizações em toda a História, utilizaram a mentira como instrumento de manipulação das massas. “Uma mentira repetida mil vezes torna-se verdade”, Já dizia Joseph Goebbels, político alemão chefe da propaganda nazista, um dos “mestres” na arte de mentir. Utilizando-se de “meias verdades”, que nada mais são que uma forma sofisticada de mentir (assim como a omissão e o pretexto), líderes e liderados enganaram multidões e as exploraram através da “mentira institucional” utilizando muitas vezes o pretexto de que ela é necessária para garantir a governabilidade e a ordem pública.

Alguns estudiosos defendem a mentira como “necessária” ao equilíbrio da vida em sociedade. É a famosa “mentirinha branca”, a “mentira nossa de cada dia” e que nos ajuda a manter o bom relacionamento e nos tornar “agradáveis” em nossas relações pessoais e profissionais. Nesta ótica, a mentira só se torna prejudicial quando o sujeito passa a utilizar da mesma de forma compulsiva. Mas, a realidade mostra que, seja ela “grande” ou “pequena” a mentira sempre cobra seu preço. A corrupção, miséria, violência e a instabilidade gerada pela desconfiança são os frutos malignos dela. A mentira produz as separações conjugais, as quebras de aliança, a exploração alheia e a desarmonia social.

A Palavra de Deus nos revela que a mentira tem pai e o pai da mentira é o Diabo (João 8:44), não pode existir acordo entre o cristão e ela, pois, se não temos NENHUMA relação com seu pai, também não temos com a filha. A maior mentira que o inimigo quer que você acredite é que mentir é uma coisa normal até necessária. Mas Jesus (aquele que é chamado de Caminho, VERDADE e vida) lhe diz :”Seja, porém, o vosso falar: Sim, sim; Não, não; porque o que passa disto é de procedência maligna.” (Mateus 5:37). A única maneira de se libertar da mentira é viver a verdade: fale a verdade, viva a verdade, rejeite as “meias verdades”, não entre na omissão, quando o momento exige que você se posicione. Mostre de quem você realmente é filho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.