Pare de brincar com o pecado (Parte 2): Não deixe nada atrapalhar

handcuffs-921290_960_720

Por: Andrew Mathieson

 

Então, como avançamos? O que precisamos fazer para nos certificar de que estamos progredindo em nossa corrida? A resposta está em Hebreus 12.1: “Deixem de lado todo peso e o pecado que se apega tão de perto”. A chave para continuar avançando é a rejeição de tudo que nos engana, nos enreda e atrapalha. Este comando não vem do nada. Como eu disse anteriormente, esse é o ponto de todo o livro de Hebreus. Corra, lute, fique alerta, fortaleça-se, não se desvie, não negligencie, permaneça firme, não presuma sobre a sua segurança eterna. Há alguns meses, comecei o processo de perder peso, e uma das coisas que fiz para conseguir isso foi correr. É um fato muito engraçado: quanto mais magro eu fico, mais fácil é correr. Nas Olimpíadas, você pode apostar que nenhum dos corredores terá sobrepeso — isso é parte da razão pela qual eles correm tão bem.

Corra, lute, esteja alerta

Como cristãos, o pecado nos torna espiritualmente embaraçados, também temos que estar vigilantes contra ele, identificá-lo rapidamente e estarmos prontos para nos arrependermos dele. O pecado nos arrasta para baixo, nos prende e nos impede de correr. O pecado nos leva com o fluxo do mundo e nos afasta de Jesus.

Mas não estamos falando apenas dos pecados óbvios, como ficar bêbado ou drogado, dos quais precisamos estar alertas. Muitas das coisas que nos atrapalham, atrasam e embaraçam não são realmente pecaminosas em si mesmas. Muitas vezes são coisas boas, até dons de Deus, que transformamos em problemas. Pode ser comida e bebida; nossos amigos; podemos fazer dos nossos filhos a coisa mais importante do mundo; relações com o sexo oposto. Toda vez que pegamos algo bom e o colocamos acima de Deus, fazemos um ídolo que nos torna embaraçados, nos desacelera e nos impede de correr. Outro homem sábio disse: “O coração do homem é uma constante fábrica de ídolos”. Fazemos ídolos naturalmente, porque é fácil colocarmos coisas acima de Jesus. Então, se desejamos rejeitar o pecado, precisamos ser sábios e cuidadosos em nossa corrida. Não podemos simplesmente lidar com as coisas perguntando: “Isso é pecaminoso ou não?”. Antes, precisamos fazer uma pergunta mais profunda: “Isso é proveitoso? Isso me fará correr melhor? Sou maduro e sábio o suficiente para não transformar esse dom em um ídolo?

Há uma razão pela qual Mez estabelece as regras a cada semana de ambientação, começando com um apelo para os solteiros manterem-se discretos.

Aqui está um cenário para você. Eu me referirei aos rapazes, mas se aplicará às moças também. Você é um novo cristão e um recém-estagiário no 20schemes. Vocês estão todos entusiasmados por Jesus e animados em relação ao futuro — depois… você vê uma bela moça caminhando. Ainda melhor do que isso, ela sabe que você existe; na verdade, a amiga dela disse para o seu amigo que ela não acha você um completo idiota. Resultado: o melhor de tudo é que ela ama Jesus e vai à igreja, o que significa que não é pecado você cortejar essa garota. Dias felizes podem ser vividos.

Há duas coisas aqui, pessoal: há um longo caminho entre “não acha que você é um completo idiota” e uma cerimônia de casamento. Esforce-se para disfarçar a sua insensatez durante esse período. Uma vez que você for casado, não há nada que você possa fazer para disfarça-la; ela descobrirá. Mais o importante é: antes de tomar a decisão, faça a pergunta certa. Faça a pergunta real, que não é “isso é pecaminoso?”, mas sim: “isso é proveitoso? Isso me ajudará a correr melhor a carreira? Isso me fará melhor na busca por Jesus?”.

John Piper diz o seguinte: “A carreira da vida cristã não é bem corrida perguntando, ‘o que há de errado nisso ou naquilo?’, mas perguntando: ‘isso me conduz à maiores fé, amor, pureza, coragem, humildade, paciência e domínio próprio?”. Não: “Isso é pecado?”, mas sim: “Isso me ajuda na corrida?”. Se a resposta a essa pergunta for: “Não, isso não me ajuda a corrida, é uma distração, atrai os meus olhos e meu coração para longe de Jesus” — então coloque-o de lado, lance-o fora, não deixe isso lhe atrapalhar. Cabeça para cima, olhos à frente, corra a corrida.

Não desista

Então não deixe nada lhe atrapalhar, e o ponto final dessa primeira seção: Não desista. Portanto, uma vez que estamos cercados por tão grande nuvem de testemunhas, vamos também deixar de lado todo embaraço e pecado que se apega tão de perto, e corramos com perseverança a carreira que nos está proposta.

Esta palavra, perseverança, é absolutamente essencial para a tarefa de completar a corrida. Porque só quem perseverar até o fim e terminar a corrida receberá o prêmio. Resistência ou perseverança é o verdadeiro teste de autenticidade na vida cristã. Repetirei a citação de Edwards com a qual comecei: “A perseverança é uma consequência necessária da salvação”. Lembre-se do significado disso: quando alguém é verdadeiramente salvo, quando alguém realmente se torna cristão, ele continuará em toda a sua vida amando Jesus e obedecendo a sua Palavra.

Eu disse anteriormente que o livro de Hebreus está repleto de advertências para perseverar porque o autor dessa carta desesperadamente quer que percebamos o perigo de nos afastarmos de Jesus e nos desviarmos dele. Ele quer que corramos, e não apenas comecemos a correr, mas continuemos correndo até o fim. Agora, eu sei que não é fácil correr a carreira cristã; na verdade, às vezes, é horrível. Viver como pessoas caídas em um mundo caído e corrompido pode ser brutal e doloroso. Às vezes, é necessário tudo o que temos para colocarmos um pé na frente do outro e prosseguirmos. Deus não espera que você corra como um Usain Bolt. Adoro essas palavras de Charles Spurgeon: “Pela perseverança, o caracol alcançou a arca”. Centímetro a centímetro, o caracol arrastou-se adiante e nós também precisamos fazê-lo.

 

Tradução: Camila Rebeca Teixeira.

Revisão: William Teixeira.

One thought on “Pare de brincar com o pecado (Parte 2): Não deixe nada atrapalhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.